Artes VisuaisBiofolio Online PerfilDesign de produto

Design de produto: eficiente e discreto

Dieter-Rams-by-Luke-Hayes
Compartilhe para que mais pessoas leiam também.

Neste artigo, veja como teoria e prática no design de produto se unem, agregando valor e eficiência, estética e funcionalidade em projetos.

por Alexandre do Vale


Design de produto: estética e funcionalidade em prática

design de produto Dieter Rams focus

O alemão Dieter Rams desenvolveu trabalhos de grande importância para a empresa de eletros Braun por mais de 40 anos. Com foco em design de produto, contribuiu significativamente em projetos voltados à funcionalidade estética de eletrodomésticos.

Aliado a uma pontual utilização de cores primárias, cinza ou preta, aplicadas apenas em detalhes de botões, por exemplo, com a predominância do branco no restante do produto, garantiu uma rápida identificação visual pelo consumidor.


Clareza da forma

A clareza da forma geométrica contribui para uma análise conceitual de produto que seja despercebido quando não utilizado.

Heskett (2008, p.52), afirma que Rams gostava de usar uma metáfora do bom mordomo inglês a respeito dos produtos: da maneira semelhante, ambos devem ser eficientes quando acionados, e discretos quando não utilizados.


Menos é mais

Assim, o conceito de que menos design é mais design ganha corpo na identidade da Braun.


design de produto Dieter Rams

Cultura de consumo e identidade corporativa

Avançando um pouco no tempo, teremos em 1998 o lançamento do design cromático do iMac pela Apple, através do trabalho de Jonathan Ive. Os modelos iMac são exemplos de aplicação mais significativa das cores em um momento mais globalizado da economia, expondo interação e conectividade com públicos específicos.

Refletem, também, uma cultura de consumo marcante de aproximação em seu nível mais popular. A Braun veio a sofrer esse disparate visual, e pouco a pouco foi perdendo campo em sua posição privilegiada (BÜRDEK, 2006, p. 59).

design de produto imac

Comparando projetos de Rams e da Apple a nível estético, destaca-se a posição conceitual formal na ilustração a seguir:

design de produto comparado

É possível pontuar que ambos adotam a simplicidade da forma como instrumento capaz de transmitir ao produto a ideia de eficiência.


Efeito Braun

Pelas colocações de Bürdek (2006, p. 55-59), a contribuição de Rams vai mais além:

No exemplo da firma Braun, fica evidente que foi estabelecida uma imagem corporativa da empresa, por meio de uma unidade do conceito tecnológico. […] Uma coordenação deste tipo, que se compõe de todas as regras de configuração, determinou a identidade corporativa da empresa, de uma forma única e sem igual.

Na Braun, Dieter Rams traça, junto a Hans Gugelot e Herbert Hirche, propósitos de unidade visual que vão se concretizar em uma identidade corporativa de sucesso, baseada na tecnologia do design de produto.

Hoje, busca-se uma identidade visual que se baseie na essência característica de seus produtos, sobretudo que reflitam aspectos como solidez e confiabilidade, além dos princípios que norteiam missão e valores internos.

É interessante ver que desde 1956, quando Rams recebe seu primeiro projeto de encomenda pela Braun, já podemos apontar um objetivo voltado à teoria aplicada.

Conheça mais trabalhos de Dieter Rams em: //designapplause.com/2009/dieter-rams-10-design-principles/6791/


Referências

– BÜRDEK, Bernhard E. História, teoria e prática do design de produtos. Título original: Design, Geschichte, Theorie und Praxis der Produkt-gestaltung. Tradução: Freddy Van Camp. São Paulo: Edgard Blücher, 2006.
– Dieter Rams. 10 design principles. Site Design Applause.
– HESKETT, John. Design. Título original: Design: a short introduction. Revisão técnica: Pedro Fiori Fernandes. Tradução: Márcia Leme. São Paulo: Ática, 2008.
Compartilhe para que mais pessoas leiam também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *